JANGUIÊ DINIZ

DESVELO

"A vida é restrito e estreiro vão em que todos lutam impetuosamente e com presunção para angariar riquezas que no fundo são apenasmente bagatelas. Ou será que a vida é a época que o criador nos presenteou para que vivamos em condição de paz e de amor lado a lado aos nossos semelhantes?"

Desvelo

Vivências, sensações, emoções, sentimentos, afeições.

Aviso

Aviso

Cuidado leitor, ao dobrar esta página. Nada tema : o poeta é só um sonho do poema.
Menino Caio

Menino Caio

Hoje és Caio, bonito pirralho, ontem era pó, com tua mãe vivias só.
Quarto de Hotel

Quarto de Hotel

Quarto de hotel, noite de solidão, ninguém com quem falar. Pensando na vida, no passado, no futuro, pensando em tudo.
Querida

Querida

Querida eu te chamo porque querida tu és, o que me fez te querer tanto pra mim é tão somente ignoto.
Vejam a fome

Vejam a fome

Vejam os marajás e o que eles fazem, vejam a fome.
Veneração

Veneração

O cansaço do mundo faz com que meus olhos se fechem para o mundo. E nesta minha escuridão, eu vejo a imagem de uma mulher com seu belo sorriso, seus grandes olhos verdes e seus cabelos, voando com a ventania dos meus pensamentos.
Janguiê Diniz

José Janguiê Bezerra Diniz nasceu em Santana dos Garrotes, na Paraíba, e cresceu em Pimenta Bueno, Rondônia. Ainda criança, foi engraxate, vendedor de laranjas e de picolés e locutor de rádio. Graduou-se em Direito pela UFPE e em Letras pela Unicap. É especialista, mestre e doutor em Direito. Foi juiz do trabalho e procurador do Ministério Público do Trabalho. Hoje, comanda um dos maiores grupos educacionais do Brasil, com representações em todos os estados do país.


DESVELO

JOSÉ JANGUIÊ BEZERRA DINIZ aqui apresenta de coração totalmente aberto, colocando em cada verso de seus poemas sua ansiedade e preocupação com a realidade social. Ademais, mostra avidamente o seu lado eminentemente romântico quando assevera: "meu amor por ti é como um dia ensolarado. Tão Jubiloso e alegre, tão brilhante e iluminado". Como poeta que é, através de seus versos procurava mostrar ao leitor que o problema social é o problema de todas, e frisa: "Vejam a vida, as poesia e até mesmo o marajá, mas não deixe a fome se alastrar. Pelo amor de Deus." Janguiê também aborda o tema que as vezeso deixa angustiado: a perplexibiliade. Em "Quem sou eu" observamos: Será que sou uma máquina eminentemente repleta de sentimentos ou será que sou ser substancialmente desprovido de tal coisa?" "A vida é restrito e estreiro vão em que todos lutam impetuosamente e com presunção para angariar riquezas que no fundo são apenasmente bagatelas. Ou será que a vida é a época que o criador nos presenteou para que vivamos em condição de paz e de amor lado a lado aos nossos semelhantes?"

Assunto do Livro

DESVELO
Vivências, sensações, emoções, sentimentos e afeições.